• Titulo 1 Receitas deliciosas para você arrasar na cozinha!
  • Titulo 2Dicas e posts de ajuda para blogueiros/as
  • Titulo 3Papo sobre relacionamentos, amor, separação...
  • Titulo 3Tecnologia, partilha de dicas e muito mais!
  • Titulo 3Depoimentos e histórias
1 2 3 4 4
Image Slideshow by WOWSlider.com v4.8

Os Dois Lados do Funk

Quando o Funk surgiu a anos atrás era um estilo musical que retratava a vida nas favelas e o lado romântico cantado por Claudinho e Bochecha, mas, com o tempo as músicas tem mostrado a violência, a criminalidade e uma apelação sexual.
Os bailes viraram moda entre a juventude e as roupas foram copiadas pelas adolescentes.
Assim como tem gosto para tudo, muitas pessoas adoram e outras detestam.
Não sou adepta do funk, mas não posso negar que o mesmo emprega muitas famílias.
A indústria do funk gera emprego e claro movimenta muito dinheiro.
Mas, o funk afeta as crianças e elas perdem o seu lado inocente?
Elas podem ser afetadas negativamente pelos gestos obcenos, pela danças e letras das músicas que são erotizadas, mas, vejo muitas crianças cantando as músicas com uma total inocência e normalidade ou seja não possuem consciência do que fazem.
Este estilo musical reflete exatamente o que a nossa sociedade vive nos dias atuais, a banalização do sexo que pode ser visto na internet, nas novelas, nos filmes e na mídia de uma maneira geral.
Respeito quem gosta do estilo, mas acho que existem músicas melhores para serem ouvidas.
Parece que a música ficou muito rotulada, padronizada e clichê.
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

7 comentários:

  1. odeio o funk respeito e tudo.. mas as músicas não tem letra.

    TO SEGUINDO VOCE.. ME SEGUI DE VOLTA E DEIXE UM COMENTÁRIO BEIJOS :)

    http://muitacoisabizarra.blogspot.com/2011/10/sosias-dos-jogadores-de-futebol.html

    ResponderExcluir
  2. Pow legal eu curto tudo que é tipo de musik , levo o funk na esportiva muitas vezes pra curtir porque o bom da vida é ser feliz !

    Da uma visita la no meu blog tambem se puder comenta
    http://manolofailbr.blogspot.com/
    Diversão a toda hora e sem limites !
    SEJAIS FODA DE NAO RIR DESTE BLOG!@

    ResponderExcluir
  3. Só uma correção, o funk já existia viu? o funk original é de meados dos anos 60, foi criado por negros-americanos que misturaram ritmos como soul, jazz e outros.
    (é só pra você deixar ciente que o funk que você fala é o carioca, totalmente diferente do que o verdadeiro funk é).

    Mas enfim, eu não gosto do funk carioca que você menciona no texto, pode ter até uma batida ligeiramente interessante (dependendo da situação) mas as letras vão totalmente contra a tudo que penso, então não tem como gostar né?

    ***
    Escrevo pro: http://cafedefita.blogspot.com/
    (Patrícia Araújo - Colaboradora)

    ResponderExcluir
  4. legal seu blog! obg por visitar o meu!
    este post é muito interessante, pois as músicas ultimamente estão sem sentido, apenas voltadas para o mercado.
    blogestarcomvoce.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Não gosto de funk e não vejo um lado positivo.
    Gerar emprego qualquer estilo musical melhor pode gerar, no Brasil o musico de verdade não tem reconhecimento, sim o tio canta "mexe essa bunda e etc".

    www.mais1km.com

    ResponderExcluir
  6. adoro funk *-*
    o ritmo é otimo pra dançar
    gostei daq

    http://laydorea15.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Milena.

    Bom, aqui vai a opinião de uma musicalmente eclética. Não tenho preconceito com nenhuma forma de manifestação musical, se bem que tenha lá minhas preferências, claro. Mas, infelizmente, o estilo funk em si parece que já virou sinônimo de música ruim e penso eu que não seja bem assim. Realmente, existe muita apelação e apologia à criminalidade dentro do funk. Talvez seja o estilo que mais padeça desse mal. Mas existe música boa( quando falo bom, atenho-me apenas àquilo ao que o estilo de pretende)no funk. Todo mundo cantava, poxa: "poderosa, rainha de funk, poderosa, olhar de diamante... agita o salão, requebra gostoso e vai descendo até o chão"... Uma música que tinha um quê de sensualidade, mas sem ser grosseira, ofensiva ou constrangedora.

    Abraços, Milena.

    ResponderExcluir



Receitas da Millena

Atualidades

Relacionamentos

Internet