• Titulo 1 Receitas deliciosas para você arrasar na cozinha!
  • Titulo 2Dicas e posts de ajuda para blogueiros/as
  • Titulo 3Papo sobre relacionamentos, amor, separação...
  • Titulo 3Tecnologia, partilha de dicas e muito mais!
  • Titulo 3Depoimentos e histórias
1 2 3 4 4
Image Slideshow by WOWSlider.com v4.8

Ele terminou sem me dar uma explicação.

Leitora:Oi, Millena! Tudo bem?
Primeiramente, parabéns pelo blog!

Quero pedir um conselho, então vamos por partes, numa história com bastante detalhes pra você poder entender tudo:
Tenho 23 anos e terminei há duas semanas um namoro de 9 meses com um rapaz de 24 anos. Ele trabalha muito, principalmente nos sábados à noite, mas isso nunca foi um problema pra mim. Desde o começo, moldamos nossa rotina e sempre procuramos aproveitar o tempo livre juntos, independente do dia ou da hora. Nosso namoro foi maravilhoso. Sei que isso não existe, mas posso classificá-lo como perfeito ou muito próximo disso. Tínhamos uma relação muito equilibrada, com muito amor, respeito, carinho, amizade e cumplicidade. Nos apaixonamos logo. Todo o interesse surgiu a partir de conversas e vimos que tínhamos muita coisa em comum: interesses, valores, opiniões, morávamos próximo, etc. Começamos a namorar em 15 dias a partir do primeiro beijo e tudo sempre foi maravilhoso, muito intenso. No início, ele era muito inseguro, muito tímido. Eu não apostava todas as minhas fichas nele, pois havia saído de um relacionamento longo há 6 meses. Estava muito apaixonada, mas calma. Eu fui a primeira namorada dele. Antes de mim, ele ficou com algumas pessoas, mas nada sério. Ele perdeu a virgindade muito tarde, aos 23 anos (com a ficante anterior), ao passo de que eu já havia namorado e me relacionado sexualmente com outras pessoas. O tempo passou e nosso laço ficou cada vez mais forte. Ele é um homem completamente diferente dos outros e nunca conheci ninguém igual: carinhoso, sensível, leal, confiável e muito parecido comigo. No segundo dia de namoro, já conheci a família dele e ele, a minha. Saíamos bastante e ele sempre foi muito cavalheiro. Eu também fazia de tudo para estarmos juntos, pois era sempre muito agradável. Menos de um mês depois, comemoramos juntos o Dia dos Namorados e foi incrível, já estávamos completamente envolvidos a ponto de dizer "eu te amo". Ele chorou bastante com as surpresas que fiz, se declarou apaixonado, disse que eu havia mudado a vida dele, que não se via mais sem mim e que não poderíamos fugir disso, pois já éramos nossos. Disse que sempre teve vontade de namorar alguém, mas nunca encontrou a pessoa certa, e que finalmente ele via que essa pessoa existia e tinha muito orgulho em ser meu namorado. E tudo isso era muito recíproco. Ao longo desses 9 meses, me vi amando-o completamente. Sabia dos poucos defeitos dele e ele dos meus, mas tudo o que havíamos construído era maravilhoso e tínhamos muito orgulho do nosso namoro. Os amigos dele me adoravam e ficavam muito felizes de ver que ele havia encontrado alguém como ele, assim como as minhas amigas. Entretanto, via que, aos pouquinhos, o brilho no olhar dele diminuía. Sempre perguntava se estava tudo bem e ele dizia que sim, que me amava e tinha muito orgulho do nosso namoro.  Era muito carinhoso e procurava estar sempre ao meu lado. Sempre dei liberdade para que ele trabalhasse e fizesse suas coisas, pois sabia que ele sentia necessidade. Certa vez, passei por problemas no trabalho e na vida pessoal, e isso coincidiu com uma viagem que ele fez com a família. Sentia muita saudade dele e acho que acabei exagerando. Era a primeira vez que ficávamos tanto tempo longe e eu estava realmente muito mal com aquela distância. Acho que isso o assustou um pouco. Reli uma carta antiga dele em que ele dizia que o brilho dos olhos diminuía porque ele aprendeu a ser feliz sozinho e que, por mais que ele tentasse ser aquele que me fazia feliz, era impossível enterrar o outro lado. Ele foi promovido no trabalho e passou a viajar com mais frequencia. Em nenhuma dessas viagens eu tive a mesma reação, pois sabia que era a trabalho, mas de qualquer forma sentia muito a falta dele. Ele ama o trabalho e sempre vi que isso era prioridade pra ele e sempre o apoiei muito, mas acho que com o passar do tempo ele não conseguiu equilibrar as duas coisas. Na verdade, antes de começarmos a namorar ele já havia me alertado sobre a disponibilidade de tempo e sobre a dificuldade que ele tinha em conciliar. Eu disse que aceitaria e de fato aceitei, e levamos isso muito bem até o último dia. Quem o pediu em namoro fui eu e hoje me recordo de que ele aceitou dizendo que "iria tentar e que talvez desse certo". Nunca duvidei do amor dele e nem ele do meu. Sempre nos amamos muito. Ao longo do tempo, ele percebeu que sou uma pessoa que tem necessidade de planejar as coisas. Estou num momento de querer estabilizar a vida, arrumando um emprego com perspectiva de futuro (fiquei algum tempo desempregada por não encontrar nenhuma oportunidade na minha área e percebia que isso incomodava um pouco a família dele, que trabalha bastante mesmo tendo muitas condições financeiras. A vontade da mãe dele era de que eu trabalhasse em alguma loja, mas a minha família nunca concordou e nunca foi a minha vontade também, pois não queria estar ocupada caso surgisse uma boa oportunidade na minha área). Ele já tem o emprego dos sonhos, que exige muito dele e o faz feliz, então talvez ele não me entenda muito bem. Segundo ele, ele é uma pessoa que, depois de muitas frustrações na vida por ansiedade, decidiu viver um dia de cada vez e não faz muitos planos, principalmente na vida sentimental. Ele se acostumou a ser sozinho e acha que fazer planos pra daqui alguns anos não é saudável. Toda vez que eu falava que ele era o amor que queria pra sempre ou que gostaria de construir uma familia com ele, ele fugia do assunto. Ele dizia que queria, sim, se casar um dia, mas não fazia planos e não sabia se eu seria essa pessoa e não poderia me dar garantias de que ficaria comigo. Ele sabia que queria ficar comigo por um bom tempo, mas dizia que tínhamos que aproveitar as oportunidades da vida, tais como um intercâmbio ou emprego em outro país. (Isso era algo que sempre nos assombrou, a possibilidade dele ir trabalhar nos EUA). Resumindo, ele me amava muito, sabia que queria uma família, mas não fazia planos comigo. Acho que ele se acha ainda muito novo, se vê como uma criança e além de tudo, prioriza o trabalho e as oportunidades que ele pode vir a ter. Ele disse que vive em uma confusão entre o racional e o emocional: ao passo de que ele sabe que nunca vai encontrar alguém como eu, ele sabe que somos diferentes nessa questão de querer planejar a vida e querer estabilidade. Enquanto eu quero um amor pra ficar, ele quer viver o dia de hoje sem saber como vai ser amanhã, mas mantendo a vontade de ter uma família um dia. Dá pra entender? A questão é que terminamos do nada. Em um minuto ele dizia que me amava e não ia desistir de mim e, literalmente, três minutos depois, terminou comigo por mensagem de texto de madrugada (não nos vimos desde então, por mais que eu tenha insistido). A verdade é que eu comecei com o assunto de estabilizar a vida, pois teria uma entrevista muito importante no dia seguinte, e eu mesma apontei essa diferença de pensamento. Ele disse que já havia reparado que pensávamos diferente nesse ponto e que estava tentando levar até onde desse, mas que uma hora isso tudo estouraria e teríamos que terminar. Então antes que terminássemos com um vínculo ainda maior e depois de anos, ele preferia terminar tudo agora. Liguei pra ele na mesma hora e ele estava se acabando de chorar. Por mensagem, ele estava mais frio, mas por telefone disse que eu poderia ser o grande amor da vida dele um dia (não agora, pois estávamos em momentos diferentes), que jamais iria me esquecer, que diria pra todo mundo que teve uma namorada maravilhosa e que ele me amava, sim, e muito. Mas ele já falava das coisas no passado e parecia muito decidido, apesar de muito emocionado. Eu o convenci a dormir e me encontrar no dia seguinte para conversarmos. De início, ele aceitou, mas durante o dia recebi outra mensagem de texto, dizendo que ele havia conversado com a mãe e eu já sabia qual era a decisão dele. Disse que deixou minhas coisas na portaria com o porteiro e que por enquanto achava melhor se afastar. Eu o procurei algumas vezes depois disso querendo conversar pessoalmente, mas ele diz que agora não é a hora e que não quer mais falar do assunto pois gosta muito de mim e quer continuar sendo meu amigo e mantendo o carinho. Quando pedi pra que ele explicasse o que aconteceu, disse que precisava de liberdade pra trabalhar (não de liberdade sexual, mas para ficar um tempo sozinho) sem o peso de deixar alguém pra trás. Disse que sentia minha falta também mas que iríamos superar. Eu o procurei mais algumas vezes. Apesar de ele me dizer que quer manter a amizade, se eu não o procurar, ele não fala comigo (apesar de curtir algumas fotos da minha família no Facebook). Da última vez, me disse que estava convicto da decisão e que estava muito feliz. Perguntei se ainda me amava e ele me disse que "não tem essa medida, mas que estava feliz". Perguntei se achava que iríamos ficar juntos no futuro e me disse que "sinceramente não sabia". Perguntei se não queria tentar de novo e ele disse "nesse momento, infelizmente, não". Já faz uma semana que não o procuro mais. Algo me diz que ele ainda me ama e está sofrendo  (pois não o vejo saindo ou fazendo qualquer outra coisa além de ficar em casa e trabalhar) e ainda acredito que vamos voltar. Não consigo parar de pensar que ele é o amor da minha vida e que não vou achar alguém como ele e nem ele alguém como eu.
Me ajuda?

Desculpe pelo texto enorme, mas acho que consegui te situar bem.

Beijos e muito obrigada!
Na minha opinião, ele agiu desta maneira por puro machismo.
Enquanto você era conveniente a ele e fica totalmente dedicada e direcionava a sua vida a dele, ele te quis do seu lado, mas a partir do momento que você quis arrumar um emprego para mudar e melhorar de vida ele te dispensou sem dó nem piedade.
Você era como um passarinho preso a gaiola e na primeira oportunidade quis sair dela para conhecer o mundo lá fora ou seja procurar se estabilizar na vida para ter um futuro.
No momento que ele percebeu que você iria fugir da gaiola ou seja parar de se anular e direcionar a sua vida a dele foi o suficiente para que ele terminasse.
Ele te disse que você é o amor da vida?
Se fosse ele ia te querer ao lado dele e não terminaria o namoro.
Você são diferentes?
E porque ele só viu isso agora e não no começo?
Se vocês são tão diferentes, como conseguiram viver tanto tempo a mil maravilhas como você me descreveu?
A realidade é que te deu uma desculpa esfarrapada para terminar contigo e o fez friamente sem nenhum sentimento.
Ele é bem imaturo, pois foi pedir opinião do que fazer com mãe ao invés de tomar uma decisão sozinho e também não teve atitude de homem que seria te dizer o porque do término e não contar historinha.
Nunca teve interessado em você, pois se tivesse teria agido diferente contigo.
Mas, acho que você tem o direito de pelo menos ter uma explicação do motivo do término e se quiser saber a verdade, procure de surpresa e exija uma explicação, pois olhando nos seus olhos, ele te dirá o que aconteceu de fato.
Pelo telefone, ele não te atenderá e por mensagem, lê e não responde.
Se ele te enrolar,diga que não quer reatar o namoro, mas como foi sua namorada nos últimos meses quer uma explicação convincente e sem essa de que são diferentes.
Eu te aconselho mesmo que seja difícil e será a esquecê-lo.
Não o procure e nem queira saber notícias dele de como está com quem e nem como.
Pois, ele não teve nenhuma consideração por você e te tratou como se você fosse uma mulherzinha qualquer que achou na rua.
Nada de tentar contato por telefone, mensagem ou rede social.
Isso só te fará sofrer ainda mais.
Tudo tem razão de ser na vida, talvez tenha sido bom ter acontecido isso agora, pois lá na frente poderia ser pior.
Ocupe a cabeça e procure alguém que queira uma relação séria e maduro contigo.
Fica tranquila, pois um homem melhor está por surgir na sua vida.
Te Cuida!Espero ter te ajudado!

Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

4 comentários:

  1. Acabei me identificando com a situação, mas meu ex explicou os motivos de estar terminando...acho que mais do q ele ser um imaturo q nao se importa com vc, creio q ele deva ter uma séria fobia a compromisso...meu ex mesmo, nunca quis ter filhos nem casar, e eu fui a primeira namorada dele (mesmo ele tendo 29 anos), enquanto eu já havia namorado outras vezes...mas não podia citar "morar juntos" q ele ja ficava meio assim...ele disse q fui mto importante pra ele e blablabla, mas q ele sempre priorizou as coisas q ele queria fazer na vida dele...bem, demorou quase 2 anos pra ele me dizer isso, acho q no seu caso, foi ate melhor q tenha sido antes de completar um ano e bem, ele tb disse q te amava, coisa q nunca ouvi da boca do meu ex...ah, quanto mais vc ficar em cima, pior pq ele vai se sentir cada vez mais pressionado, to mals tambem, mas infelizmente não tem o que fazer...é viver o processo de luto e superar...espero que vc encontre alguém que te valorize de verdade e que faça planos para o futuro juntos!

    ResponderExcluir
  2. Passei por situacao similar.. o conheci num site de namoro onde ele quis me conhecer... morava a duas hs de mim mas mesmo assim quis me conhecer.. aos poucos fomos nos gostando... fazendo planos do ke queriamos mas ja fou claro no começo que o pior defeito era trabalhar demais e de fato em um mês de namoro ja ficou uma semana a trabalho num lugar afastado e sem sinal totalmente sem contato.. que agonia... logo voltou e nossos planos continuaram.. mas nossos encontros foram se tornando com menos frequência...ate k o natal de 2014 chegou... passamos tres dias maravilhosos.. mas logo o têrmino e por msg.. dessa vez ficaria três meses fora ..nao kis nem saber o k eu pensava sobre o assunto foi logo dizendo: pra mim nao rola!!!.. nao aceitei.. decidi ir atras foi qd ele resolveu me ligar dizendo k se eu fosse atras dele eu ouviria a mesma coisa... disse k ele ja havia passado por essa situacao e nao keria m fazer sofrer... pelo menos terminando ele sofreria sozinho e pensando somente no trabalho dele e nao em alguêm que ele havia deixado esperando...ele dizia k no momento nao estava preparado pra assumir uma familia... como eu sofri...e tdo ano eu lembro como teriamos sido felizes se ele ao menos tivesse optado por ser feliz ao invês de dar tanto ênfase ao trabalho...

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei um pouco tbm.. namorei dois meses um homem de 38 anos e eu cm 27 na epoca...nos conhecemos num site de relacionamento.. o amor foi surgindo e logo faziamos planos... mas desde o começo sempre foi claro ao dizer que o seu pior defeito era trabalhar demais... e logo no primeiro mês acabou ficando uma semana fora sem sinal de tel.. nm contato algum... aguentei firme e logo ele voltou e continuamos com nosso amor e planos... mas dois dias depois do natal ele m deixou passamos tres dias antes maravilhosamente bm... ao xegar ao trabalho foi avisado k ficaria três meses fora... o ke foi motivo pra ele terminar e por msg.. ele so me ligou qd eu disse k eu iria atras dele pra ouvir da boca dele td k ele escreveu.. me disse k no momento n estava preparado p assumir uma familia e k assim pra ele n rolava.. preferia sofrer sozinho e so pensando no trabalho dele..e nao em mais alguem k ele havia deixado esperando por ele...que sofrimento.. eu nao keria aceitar... chorei dias e dias... sem comer... só dormia... e ate hj penso nele um ano depois.. nunca mais tive noticias... sempre esperei k voltasse... mas n voltou...dizia k n conseguia dizer nao ao trabalho e nessa eu acabei levando.. sinto sdd ainda... foi doído mas ainda sinto....

    ResponderExcluir
  4. Gostaria muito de conversar com alguém que já passou por essa situação, pois estou passando e me sinto sem rumo! Se alguém puder me contar como foi depois, se houve superação ou volta ficaria muito feliz. Preciso compartilhar de experiências para tentar me encontrar.

    ResponderExcluir



Receitas da Millena

Atualidades

Relacionamentos

Internet