• Titulo 1 Receitas deliciosas para você arrasar na cozinha!
  • Titulo 2Dicas e posts de ajuda para blogueiros/as
  • Titulo 3Papo sobre relacionamentos, amor, separação...
  • Titulo 3Tecnologia, partilha de dicas e muito mais!
  • Titulo 3Depoimentos e histórias
1 2 3 4 4
Image Slideshow by WOWSlider.com v4.8

Será que devo terminar com meu namorado ou mudar?


Leitora:Olá. Tenho 25 anos, ando extremamente confusa e desesperada, e chegando à conclusão de que realmente sou uma vagabunda, que não valho nada e que mereço mesmo sofrer. Desde que me conheço por gente sempre tive uma certa dificuldade em me relacionar com pessoas e nunca fui uma menina lá muito atraente. Na escola eu era aquela menina "esquisita" que todos zombavam. Daí que nunca tive um namorado na adolescência... apenas "amores" platônicos, "namoros" virtuais e, raramente, ficava com algum menino. Porém, há alguns anos atrás, tive meu primeiro namorado de verdade... era um homem bem mais velho que eu, e eu era apaixonada por ele. Mas ele terminou comigo por uma série de motivos que se eu disser o texto vai ficar longo demais. Só que eu sofri muito por causa disso, me humilhei, corri atrás dele tentando uma nova chance, só parei com isso quando ele começou a namorar uma outra pessoa (desde então nunca mais falei com ele. Nem sei mais se ainda está vivo). Daí fiquei um tempo sozinha, vivendo a minha vida, mas ainda com aquela mágoa no coração. Até que um dia conheci um garoto na internet, no mesmo dia que comecei a falar com ele na internet ele já quis me conhecer pessoalmente e já me pediu em namoro. Eu aceitei, não sei por quê. Acho que era porque eu estava carente na época, queria provar para mim mesma e para todos que eu estava bem sem o meu ex (e queria esquece-lo de vez), e me deixei levar pelas "cobranças" de amigas e tias velhas sobre "namorado". E eu achei que seria um relacionamento que duraria pouco, como foi o com o meu ex... ou seja, estou falando de um namoro que já começou errado. Com o tempo, conforme o namoro foi rolando, a minha mãe tentou falar comigo sobre ele e eu não sermos pessoas "ideais" um para o outro. Eu ficava irritada com isso no começo, mas hoje estou dando um pouco de razão para ela... vou citar os pontos onde nós não "fechamos" um com o outro:
1 - Religião. Ele é um rapaz evangélico. Eu acredito em Deus e até acho legal frequentar igreja, orar, ler a bíblia, viver uma vida religiosa, seguir o que a bíblia prega, mas com moderação. Mas não consigo ser uma "bitolada", dessas que levam a bíblia ao pé da letra, acham que todo mundo (bom ou mau) vai pro inferno se não se converter e acha que tudo que não é "gospel" ou não tem nada a ver com "igreja" é "do diabo". Já ele segue mais ou menos esse perfil. Um dos piores erros que cometi foi tentar entrar na onda dele nisso (inclusive me batizei na igreja dele);
2 - Futuro. Eu estou fazendo uma faculdade, estou quase formada e pretendo, sim, trabalhar na área onde eu estou estudando, mesmo que eu não ganhe rios de dinheiro. Ainda moro com meus pais e não sei se vou permanecer na cidade onde moro atualmente, se vou morar em outra cidade. Só sei que não me sinto preparada agora para me casar, formar família, ter filhos. Ele acredita piamente que sou a "mulher da vida dele", e quer casar comigo e ser o pai dos meus filhos, mesmo nós não tendo construído nada juntos nesses 2 anos e meio de namoro. Ele tem só o ensino médio, trabalha o dia inteiro num serviço desgastante por pouco mais que um salário mínimo e até sonha em voltar a estudar um dia e trabalhar num lugar melhor... mas ele já tentou isso um dia, foi demitido e teve que voltar para o lugar de antes e ele não pode ficar sem trabalhar.
3 - Valores diferentes. Isso não tem nada a ver com condição financeira, mas os valores com os quais fomos criados são muito diferentes. E essas diferenças todas já foram motivos de muitas brigas, discussões e confusões.
4 - Problemas pessoais. Como eu tinha dito antes, eu tenho dificuldades em me relacionar com pessoas, não tenho muitos amigos e sofri bullying na escola. Ele também. Porém, eu me dou muito bem com minha família e procuro interagir com as pessoas na medida do possível, quando me sinto à vontade. Não me isolo. Já ele é muito fechado, não conversa com ninguém, se isola tanto que até hoje, com 2 anos e meio de namoro ele não interage com minha família. Problemas parecidos, mas diferentes.
5 - Falta de química. Não sei por quê, mas nunca senti por ele aquilo que eu sentia pelo meu ex, pelos meus amores platônicos, pelos meus "namorados" virtuais... nem no começo do namoro, mesmo ele sendo a pessoa com quem eu mais tive intimidade. Inclusive, mesmo eu tendo meu lado romântico, nem gosto muito das demonstrações de romantismo dele.
Porém, apesar de todas essas vírgulas, ele é uma garoto muito legal, fiel, sincero, honesto, sensível, divertido (já me fez rir várias vezes). É uma boa companhia. E eu gosto dele, gosto de estar com ele, gosto dos seus beijos, abraços e carinhos. Porém, nos vemos só nos fins de semana por causa dos nossos compromissos durante a semana e, durante a semana, não sinto "aquela saudade", "aquela vontade de que chegue o fim de semana", não penso nele o tempo todo, vivo normalmente. Não sei se o amo de verdade, não sei se o que sinto por ele é amor de homem e mulher, às vezes tenho a sensação de estar enrolando, enganando, brincando com o sentimento dele. Por outro lado, tenho medo de terminar e depois me arrepender, ou de fazê-lo sofrer. Pior: tenho medo de terminar e todo mundo ver e sair falando por aí que sou uma vagabunda egoísta insensível que só brincou com os sentimentos do cara e que merece ficar sozinha ou sofrer na mão de um cafajeste (o que acho que sou mesmo), visto que moro numa cidade onde todo mundo adora falar da vida alheia. Fui (e estou sendo) uma péssima namorada, cometi vários erros com ele, e vou citar os 2 mais graves:
1 - tentar ser o que não sou para me adaptar a ele: mesmo não tendo a mesma visão religiosa dele, comecei a ir na igreja com ele, me batizei e até tentei pensar como ele. Também já tentei mudar meu jeito para agrada-lo. Isso me deixou muito frustrada e revoltada, o que gerou muitas brigas e discussões. Ele acredita também que "ganhou a minha alma para Jesus" (se você é evangélica ou tem algum(ns) amigo(s) evangélico(s) vai entender isso). Já tentei terminar com ele várias vezes, mas é só ele me encher de carinho que volto atrás. Inclusive ele terminou comigo uma vez, se arrependeu e tentou voltar comigo e eu não aceitei, daí um mês depois a gente se falou, ele me deu um abraço e voltamos, e agora estou cometendo o 2º erro grave entre outros:
2 - viver uma vida dupla. Quando estou sozinha, ou com minha família, ou com meus amigos, sou eu mesma, faço as coisas que gosto, converso sobre qualquer assunto sem restrição, curto as coisas com eles. Quando estou com ele, tento ser outra coisa para me adaptar a ele, finjo concordar com certas coisas e evito certas coisas que curto, assuntos e opiniões para evitar aquelas brigas feias que tínhamos. Isso tem me deixado muito frustrada e angustiada, pois se pensar bem eu estou sendo falsa com ele e comigo mesma. Penso em terminar para poder ter paz de espírito, poder ser eu mesma e viver sem enganar nem a mim mesma nem a ninguém. E agora a situação está ainda mais grave, pois recentemente conheci no meu trabalho um rapaz extremamente atraente. Quando o vejo fico bem nervosa e meu coração acelera. Porém, ele tem namorada. E mesmo se não tivesse, eu não teria nenhuma chance com ele, pois ele aparenta ser bem conhecido (popular), de uma família rica (pelo carro que tem) e o pai dele trabalha com festas e eventos (coisas que descobri no facebook). Além disso, ele mora na mesma cidade do meu namorado (ambos moram em uma cidade pequena que é praticamente grudada na minha cidade). Eu tenho pensado muito nesse garoto e fantasiado com ele, tenho me sentido muito angustiada com isso. Ele não sabe e nunca saberá disso, pois tem namorada, praticamente nem falo com ele (eu procuro evita-lo, não quero que ele perceba nada) e sei que ele não sente nada por mim. Sei que nunca vou ter nada com esse garoto e acredito (e espero) que isso que eu esteja sentindo por ele seja uma simples atração, que eu poderia estar sentindo por qualquer homem. Mas o simples fato de eu namorar um e me sentir atraída por outro é um mau sinal, é motivo para eu me preocupar. Tudo que eu queria agora era poder sair dessa confusão toda, estar em paz comigo mesma... será que devo mesmo terminar com meu namorado e seguir em frente? Ou continuar o namoro e buscar algumas mudanças para torna-lo mais saudável? E se eu for terminar, como eu faço para terminar? E para não me deixar abalar pelas críticas, pelo que vão falar de mim? Desde já agradeço a sua paciência e compreensão.
A primeira coisa que você tem que fazer é ter mais amor próprio.
Não adianta você amar uma pessoa e ela não tem amar e também você não amá-la e ela te amar ou seja amar tem que ser recíproco, senão perde o sentido.
Amor próprio é se valorizar, ter confiança nos seus atos e se contentar como seu modo de ser.
Muitas pessoas dizem num relacionamento que amam outra pessoa, mas falta amor próprio, pois se humilham e se sujeitam a cada tipo de coisa que é de duvidar.
O amor próprio é essencial, pois só assim a pessoa que está ao seu lado vai te admirar e ter a certeza de que fez a escolha certa.
Se nós não nos amarmos, dificilmente outra pessoa irá fazê-lo.
Muitas pessoas  se agarram na primeira pessoa que aparece como se fosse um tipo de salvação ou seja a única maneira de não ficar solteira e com isso se submetem a cada tipo de situação num relacionamento que não dá pra acreditar.
Foi isso que aconteceu contigo.
Se quer encontrar o amor da sua vida, muitas vezes não é de primeira, salvo exceções.
É uma procura em que o encontro acontece quando menos se espera.
Jamais se humilhe por homem algum, se ele te disse não, levanta sacode a poeira e dá a volta por cima.
As pessoas são o que são ninguém muda por amor, apenas finge que teve alguma mudança, mas, na primeira oportunidade volta a ser o que era antes.
Mudar por imposição de outra pessoa também é uma ilusão, pois algum dia a  pessoa mostra quem realmente é.
Ser você mesma ou seja agir com espontaneidade, autenticidade e verdade.
Não ficar imitando ninguém e nem fazer tipo, se passando ou demonstrando o que não é.
Na minha opinião, você está iludindo o seu namorado e a você mesma, pois não tem sentimento por ele, caso tivesse não estaria na dúvida.
Você não muda apenas incorpora uma atriz na frente dele ou seja cria um personagem para demonstrar que o namoro de vocês é um conto de fadas.
Você queria que este outro rapaz do seu trabalho fosse o seu namorado, mas infelizmente não é e tem namorada.
Isto é porque você queria ter a vida que ele tem com a namorada, mas isso não acontece.
Os quesitos que você citou pode ser deixados de lado se você amasse seu namorado de verdade, mas já que não é o que sente, então está usando eles para justificar o seu péssimo namoro.
Se você está nesta situação é culpa sua que deveria ter ficado um tempo sozinha, conhecendo pessoas e fazendo outras amizades até superar o seu antigo namoro.
Mas, preferiu iniciar um namoro com alguém que não gosta por dar ouvidos as outras pessoas, mas se esqueceu que quem iria aturar, aguentar e conviver 24 horas era você e não as outras pessoas.
Se o seu namorado era tão perfeito assim, porque estava solteiro?
Eu te aconselho a terminar este namoro e ficar um tempo sozinha.
Te Cuida!Espero ter te ajudado!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

0 comentários:

Postar um comentário



Receitas da Millena

Atualidades

Relacionamentos

Internet