• Titulo 1 Receitas deliciosas para você arrasar na cozinha!
  • Titulo 2Dicas e posts de ajuda para blogueiros/as
  • Titulo 3Papo sobre relacionamentos, amor, separação...
  • Titulo 3Tecnologia, partilha de dicas e muito mais!
  • Titulo 3Depoimentos e histórias
1 2 3 4 4
Image Slideshow by WOWSlider.com v4.8

Relato de uma mulher sobre a cirurgia da retirada da Glândula de Bartholin


Procedimento cirúrgico
Minha cirurgia foi realizada no final do mês de fevereiro. Somente no final do mês de abril eu estava recuperada. Assim, foram dois meses para que a recuperação fosse completa. Mas eu voltei a realizar minhas atividades rotineiras após duas semanas de repouso total. No dia da cirurgia acordei as 6 horas da manhã, e tomei café com biscoito. As 7 horas eu estava na clínica. A médica disse que eu poderia me alimentar nesse horário da manhã e depois eu fiz jejum de 5 horas.
Entrei 12:00 na sala de cirurgia e sai por volta de 13:00. A anestesia foi a ráqui, isto é, aplicada na coluna e gerando o adormecimento das pernas e da região do ventre. Além disso, também me aplicaram um sedativo leve, isto é, eu permaneci acordada durante todo o procedimento cirúrgico. A médica conversava comigo durante o procedimento de forma que mesmo sedada eu permanecia consciente.
  Após o procedimento cirúrgico fui levada para a sala de recuperação e pouco tempo depois fui para o quarto. Neste momento o sono era muito forte, e isso era efeito do sedativo. A indicação médica era de que eu não falasse, pois isso evitaria o surgimento de gases. E também falaram para eu não movimentar muito a cabeça, e que isso evitaria dores de cabeça futuramente.  A enfermeira retirou o travesseiro da minha cama, pois isto também evitaria dores de cabeça. Enquanto estive no quarto tive soro e medicamento para dor aplicados na veia. Após quatro horas em repouso no hospital eu pude realizar minha primeira refeição, ou seja, aproximadamente entre às 17:30 ou 18:00. Às 19:00 horas fui liberada do hospital e pude passar a noite em minha casa. Normalmente os médicos orientam à paciente a passar a noite no hospital. Em outros casos se a paciente estiver bem ela poderá ser liberada.

Repouso
Fazer repouso total, durante duas semanas após a cirurgia, é muito importante. Isto significa que é extremamente necessário ficar o dia todo deitada na cama por exatos 7 dias. A partir do oitavo dia eu já conseguia revezar entre ficar algumas horas deitada e depois ficar sentada vendo TV. Lembrando que se deve sentar de forma que a região da cirurgia não sofra nenhuma tensão ou desconforto. É bom apoiar as pernas em alguma cadeira, puf ou outro móvel que deve ficar na frente do sofá. Para dormir eu me sentia bem em somente duas posições. A primeira posição é de bruços, de barriga para baixo. E a segunda posição era de barriga para cima. Não me sentia bem em dormir de lado, pois achava que o peso da minha perna trazia desconforto para a região íntima da cirurgia que precisava estar relaxada e confortável. Também aconselho a dormir sem travesseiro em baixo da cabeça por aproximadamente 11 dias. Isso diminui possíveis dores de cabeça que podem surgir como efeito da anestesia. Comecei a sentir fisgadas no lugar da cirurgia depois de setes dias. Mas não senti dor forte, somente um leve desconforto que era aliviado por medicamentos passados pela médica. Sobre a higiene é preciso manter a região dos pontos sempre limpa e seca. Após urinar é necessário se lavar com água através de um chuveirinho e secar com uma toalha. No banho utilizar um sabonete neutro para lavar a região íntima. Indico o sabonete líquido da marca Granado- Sabonete vegetal de glicerina –tradicional. É importante também fazer compressas de gelo 3 vezes ao dia.

Efeitos colaterais da anestesia (ráqui)
Dois dias após a cirurgia eu comecei a ter fortes dores de cabeça. Logo fui até a médica e tomei medicamento para dor e soro na veia. Além disso, a médica deixou um dreno que foi retirado no segundo dia depois da cirurgia. Eu tenho um ouvido muito sensível e um dia após a cirurgia eu tive a sensação que meu ouvido esquerdo estava totalmente “ tampado”, e forte sensação de pressão na região. A médica me disse que isso era efeito da anestesia e que passaria. Também tive como efeito colateral da anestesia o corpo todo inchado especialmente o pescoço e o rosto.

Recomendações sobre como se preparar para a cirurgia. Comportamentos e formas de pensar que auxiliam a recuperação.
 Antes, durante e depois da cirurgia de retirada da glândula de bartholin é muito importante manter a calma e confiar que tudo ocorrerá perfeitamente bem. Independente de qual crença religiosa você siga é preciso confiar, seja em deus, seja no universo ou em qualquer outra coisa que você acredite. Confie em você, no médico e isso já é confiar. No pós-operatório também é válido manter esta mesma postura interna de que tudo irá passar e que muito em breve você estará recuperada. Ter tranquilidade e focar na ideia de saúde são chaves que geram uma rápida recuperação. É preciso manter em mente a ideia de recuperação, e ver você saudável. Ter extrema vontade em voltar à realizar suas atividades rotineiras.
 Para mim ter tranquilidade fez com que a minha cirurgia fosse realizada sem complicações. Minha recuperação também foi rápida e tranquila eu não senti dor na região íntima, apenas um desconforto após alguns dias da cirurgia. Antes de eu realizar essa cirurgia na glândula de bartholin eu passei por um procedimento de drenagem da glândula. Foi uma experiência extremamente dolorosa. E eu acredito eu isso aconteceu devido ao meu pavor em enfrentar a situação. Eu estava com medo de sentir dor e foi justamente isso o que eu mais senti. Fiz a drenagem no início do mês de fevereiro, pois a glândula estava muito inflamada. Após a drenagem a médica falou que eu teria que passar por uma cirurgia para retirar definitivamente e glândula. E no final deste mesmo mês de fevereiro eu fui para a sala de cirurgia.

Então com minha experiência posso dizer que ter medo e entrar em desespero antes e durante o processo de drenagem da glândula só me trouxe mais dor e confusão. E quando eu adotei uma outra postura e fui tranquila e sem medo de dor para a cirurgia de retirada da glândula, tudo ocorreu maravilhosamente bem. Caso você vivencie algum tipo de medo de enfrentar a sala de cirurgia e retirar a glândula, digo por experiência própria, que ter confiança e calma, muita calma, fará com que qualquer tipo de cirurgia seja realizada de forma satisfatória. E só uma questão de aceitar a situação e vivencia-la com serenidade. Desejo a todas que irão fazer ou que já fizeram a cirurgia da glândula de bartholin uma ótima recuperação.


Lembrando que a foto é meramente ilustrativa, mas, o texto é de uma mulher que teve bartolinite e resolveu dar o seu depoimento para ajudar outras mulheres que passam ou passaram pela mesma situação.
Se você é uma dessas mulheres e também deseja dar o seu depoimento e contribuir para ajudar outras mulheres envie-nos um texto contando a sua história.
Sua identidade será preservada e jamais revelada.
Quanto mais informação as mulheres tiverem mais rápido o diagnóstico e o tratamento adequado!
Se você não sabe o que é bartolinite e nem nunca ouviu falar sobre o assunto se informe.

Quer saber mais sobre o que é a Bartolinite?Clique Aqui
Quer saber mais sobre a Bartolinite na Adolescência?Clique Aqui
Quer saber como escolher um bom médico?Clique aqui
Quer saber como é a cirurgia da Bartolinite?Clique aqui
Quer saber quais as perguntas mais frequentes sobre a Bartolinite?Clique aqui
Quer saber sobre a Bartolinite na Gravidez?Clique Aqui

Curta, compartilhe e divulgue a nossa página da Bartolinite no Facebook:Clique aqui  



 
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+


Receitas da Millena

Atualidades

Relacionamentos

Internet