• Titulo 1 Receitas deliciosas para você arrasar na cozinha!
  • Titulo 2Dicas e posts de ajuda para blogueiros/as
  • Titulo 3Papo sobre relacionamentos, amor, separação...
  • Titulo 3Tecnologia, partilha de dicas e muito mais!
  • Titulo 3Depoimentos e histórias
1 2 3 4 4
Image Slideshow by WOWSlider.com v4.8

Desabafo de um homem que sofreu bullying!


Leitor:Quando era criança, além de tímido era bem gordinho. Mas era alvo de bullying pelo fato de ser mais quieto e retraído. Eu era alvo de brincadeiras e até algumas agressões mas quando a situação chegava a esse ponto, não hesitava em reagir na mesma moeda, ou seja indo para o contra-ataque. Eu admito que não era a melhor coisa a se fazer, mas quando não tinha ninguém para coibir tal abuso direcionado a mim, ou eu os enfrentava ou sofreria a longo prazo com a depressão. E somente depois que encarava meus algozes é que eles ficavam quietos por um ano inteiro. No ensino médio, embora existisse o bullying, os casos ocorridos comigo foram bem menores. Isso talvez se devia ao fato que além de gordinho, era mais alto que os demais adolescentes de mesma faixa etária, e quando eu fazia uma cara de mau, o pessoal já ficava um pouco intimidado em prosseguir com as piadinhas. Na questão referente ao sexo oposto, ela se desenhava no seguinte esquema. Mesmo estando acima do peso, havia uma garota até bonita, que se interessava por mim, mas eu não acreditava nem um pouco nisso. Na verdade, acreditava que ela estivesse querendo com que eu fizesse papel de palhaço perante a turma. No ensino médio foi a mesma coisa, porém estava bastante focado nos estudos, pois queria passar no antigo vestibular em alguma universidade pública, para também retribuir os sacrifícios dos meus pais em custear uma excelente escola mesmo que com dificuldades. Por estar entre a timidez e a introversão,e odiar as aulas de Ed. Física, acabava encontrando refúgio na pequena biblioteca da escola, e na leitura em geral. Consegui ingressar no ensino superior. Tive as minhas mesmas dificuldades em me socializar, tive pouquíssimos amigos, entre os colegas. Consegui um estágio, e após dois anos de estágio fui chamado pela diretora que gostou do meu trabalho, e perguntou se eu queria ser efetivado, aceitei, conclui o curso, e continuo trabalhando lá até hoje. Mesmo com essas grandes vitórias, entre elas em ajudar meus pais ainda sinto minha vida se dividir entre a timidez e a introversão. Nas poucas vezes, eu que tive contato mais intimo com pessoas do sexo oposto todas elas foram um retumbante fracasso; uma eu pensava que estava me flertando mas essa jovem depois me disse não queria nada comigo, a outra foi em um relacionamento à distância , pelo msn, que durou menos de um ano. Não consigo sentir apreço à baladas. Sempre fui bastante caseiro, do tipo que prefere ler ou ver bons filmes no DVD. Graças ao meu trabalho, os cursos de especializações que faço quase todos os anos, tenho todo o tempo para me tornar um workaholic mas por um lado fico pensando: será que o amor ainda existe para mim ? Até meus pais, meus familiares se perguntam porque uma pessoa tão saudável e trabalhadora não conseguiu uma namorada. Desculpe se o meu relato saiu um pouco longo. Obrigado por esse espaço.
Se as pessoas tivessem uma noção do quanto é ruim o  bullying e como ele deixa marcas e traumas na vida das pessoas pensariam duas vezes antes de fazê-lo com alguém, mas, como sempre ele acontece na fase da infância quando parece ser apenas mais uma brincadeira inocente não tem como evitá-lo.
Eu como você e também tantas outras pessoas já sofreram bullying e demos a volta por cima para termos uma vida normal.
A sua timidez e seu tipo físico o fizeram se tornar uma pessoa retraída e quieta na sua, talvez seja para evitar justamente essas brincadeiras de mal gosto ou seja uma forma que você encontrou de proteção contra outras pessoas.
Agredir os agressores que praticavam bullying foi uma solução provisória que você encontrou, mas, que bem lá no fundo sabia que não era a melhor atitude a ser tomada.
 No bullying, o melhor é revidar ou silenciar?
As duas coisas são ruins, o melhor seria não deixar que o bullying atrapalhe a sua vida de tal forma que evite o contato com as outras pessoas por medo de ser agredido por elas.
Você canalizou todas a suas frustrações para o estudo e fez dele o seu principal objetivo de vida.
Se tornou um rapaz culto e bem sucedido, mas, precisa resolver o problema sofrido pelo bullying para acabar com o bloqueio que tem com relação as outras pessoas seja com amizades, mulheres e outros.
Eu vou te aconselhar a procurar ajuda psicológica para lidar com esse trauma de infância.
Se o amor existe pra você?
O amor existe para todo mundo desde que a pessoa esteja disposta e disponível quando ele bater na sua porta.
Cedo ou tarde acaba acontecendo...
Eu vou te dizer que baladas não são lugares para arrumar alguém pra algo sério de verdade, pois quem frequenta esses lugares quer mesmo é curtição, não está a procura de namoro.
E conhecer pessoas para terem um relacionamento pode ser em outro lugar como no banco, no supermercado, no ônibus...
Não é necessário frequentar a noite para que isso aconteça.
Essa é a minha opinião pelo menos a maioria dos meus exs conheci na luz do dia e jamais na noite.
Começa tentando uma conversa em algum aplicativo para ver se conhece alguém interessante e legal.
Eu por exemplo, meu ex conheci numa conversa na fila de banco e ele me pediu meu telefone porque a conversa fluiu.
Se abre mais para as pessoas que só assim terá oportunidade de criar laços, conhecer outras pessoas e fazer amizades.
Até dentro da empresa que você trabalha poderá conhecer pessoas interessantes.
Desarma um pouco e se abre...
Já pensou que as vezes tem pessoas que gostariam de conversar contigo, mas, por medo da sua reação não se aproximam por seres uma pessoa fechada?
Se não, pensa um pouco e permita que as pessoas se aproximem de você.
Te Cuida!Espero ter te ajudado!
Comente via Blogger
Comente via Facebook
Comente via Google+

2 comentários:

  1. Moço da história, só relaxa!
    Tipo, se vc parar e observar a sua volta (vida real, não na tv...), no seu trabalho, na sua família, na sua vizinhança, num shopping etc vc vai ver que não são só as pessoas tipo modelo de capa de revista que namoram não! Se vc prestar atenção vc vai achar pessoas feias, bonitas, magras, baixinhas, gordas, altas, super saudáveis, com deficiências físicas graves, cabeludas, carecas etc que tem namorado/a e vivem relacionamentos felizes. Tem gosto pra tudo!
    Eu sou magrela, meu noivo é um nerd gordinho, eu sempre preferi os gordinhos pq de magra já basta eu! É muito mais gostoso abraçar um cara fofinho que um saco de ossos! Imagina osso com osso batendo que porcaria! haha

    O esquema é: Relaxa! Não comece a conversar com uma garota já pensando em chegar nela e levar um fora, converse normal, como se fosse uma colega, uma amiga, uma vendedora de loja, enfim, uma pessoa qualquer. Com o tempo pode não rolar nada e ela vai ser só mais uma pessoa com quem vc bateu um papo mas, pode rolar alguma coisa a medida que vcs se conhecem melhor sacou? Deixa acontecer naturalmente.

    Aparência ajuda? Sim, ajuda! Ajuda a ser mais popular no colégio, a fazer mais sucesso na balada e a 'pegar' as garotas mais fúteis que só ligam para aparência então é óbvio que o cara musculoso, rato de academia vai ter mais facilidade que vc pra chegar nas garotas mas, não são todas assim! Tem muita garota por aí que quer ficar de boa, no canto dela, sem muita badalação, com um cara inteligente, carinhoso e que dê valor a ela.

    Vc não é magro e musculoso e não é baladeiro, mas é inteligente então tem que procurar uma garota que goste do seu perfil, tem muita garota nerd por aí que prefere 1000 vezes ficar em casa no fim de semana assistindo um seriado, agarradinha com seu gordinho nerd, do que ir pra balada...
    Eu me considero até inteligente (sou formada em engenharia de computação em uma universidade federal) e eu sempre achei um saco conversar com os 'garotos populares' do colégio, eles geralmente se acham muito, são bonitos, galanteadores e tem a inteligência de uma porta!
    Esquece o seu peso, ele é só uma característica sua, vc não precisa ser magro pra ser engraçado, pra ser gentil, pra ser uma companhia gostosa que uma garota adoraria ter ao lado...

    Ah, conheci o meu noivo no estágio da faculdade, ele é nerd, da mesma área que eu, adora vídeo game, odeia academia, morre de preguiça de ir pra balada e é gordinho, mas é engraçado, carinhoso e atencioso comigo...

    ResponderExcluir
  2. Realmente, eu me identifiquei bastante com a pessoa eu enviou o depoimento. Até ia enviar um depoimento sobre a minha vida mas quando eu li essa postagem, em respeito às regras do blog, não o fiz. Tive dificuldades durante toda a infância e parte da adolescência com o bullying, tive de revidar também as ofensas sofridas, e assim fazer calar por um tempo as bocas intimidadoras, que auxiliam a minar a autoestima de qualquer pessoa fora dos padrões, sejam eles físicos(ter um corpo legal, ser uma pessoa bonita) ou psicológicos(ser extrovertida). Sou uma pessoa educada, talvez um gentleman, dividida entre a introversão e a timidez. Assim como ele, também encontrei minha força nos estudos e na busca por um bom emprego. Com objetivo concretizado, passei a comprar as coisas que eu gosto( nada a ver com o consumismo que faz você muitas comprar algo que você não precisa de fato). Mesmo sendo uma pessoa cortês no trabalho e com os colegas, sou uma pessoa com dificuldades em estreitar laços de amizade. Numa confraternização de fim de ano aonde trabalho, fiquei apenas pouco tempo no evento, simplesmente porque não suporto ambientes festivos, destacando que quando era criança, eu mesmo aboli festas no meu aniversário, porque não via sentido algum nisso. Com tudo isso, posso dizer, sem vergonha que os maiores amigos que tenho são os meus livros. Sempre fui entusiasta da ideia que ter muitos amigos é bom apenas para inflar o ego nas redes sociais. O ideal é ter poucos, bons e verdadeiros mas para mim, ainda isso é algo complicado. Com o auxílio de um psicólogo, pude refletir que devido ao fato de ter revidado tanto as agressões das pessoas, que eu acabei estabelecendo ficando na defensiva. Como não tenho amigo(a)s não tive também uma relação mais íntima com pessoas do sexo oposto, a qual pudesse dedicar o amor, que eu sei que tenho de mim. Mesmo com alguns problemas, não estou em momento algum, depressivo. Como vês escrevi bastante. Algo que faço com gosto, e para me expressar.

    ResponderExcluir



Receitas da Millena

Atualidades

Relacionamentos

Internet